outubro 01, 2012

Masochism


Título: Masochism

Sinopse: Estava preso, acorrentado naquela maldita cama e ele apenas me olhava com aquela cara sacana. E como se não bastasse, aqueles dois entraram na brincadeira. É, a noite seria longa.

Classificação: +18
Categorias: BREAKERZ, Super Junior
Personagens: Akihide, Daigo, Han Geng, Heechul
Gêneros: Amizade, Lemon, Shounen-ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Terminada: sim.



Capítulo único - Sex, sex and more sex

Daigo permanecia sentado naquela cadeira, enquanto me olhava com um olhar perverso. Eu estava imóvel, acorrentado naquela cama e extremamente excitado enquanto ele ficava lá. Somente me encarando com um sorriso sacana nos lábios. Aquilo era tortura.
Ele sabia.
E eu gostava.
Passado uns dez minutos daquela tortura psicológica e física, ele se levantara. Caminhara até mim e com aqueles dedos gelados alisou a minha barriga e sussurrou em meu ouvido.
— Tenho uma surpresa...
Então se afastou, indo até a porta e abrindo-a. E em poucos segundos da mesma saem HanGeng e Akhide.
— Ma-mas...
Estou incrédulo. Mal podia acreditar no que meus olhos viam. Novamente, para minha surpresa Akhide começa a beijar Daigo que alisa descaradamente seu membro me fazendo soltar o ar pesado enquanto HanGeng tira de suas mãos algo que identifiquei como um chicote.
— Vamos ao que interessa. – Disse HanGeng.
Ele me encarava de forma animalesca, o que me fazia perder o ar e fazia minha calça apertar mais ainda. Ahkide puxou Daigo pela mão e os dois sentaram na borda da cama, trocaram um selinho e me encaravam.
— Tão lindo... Submisso desse jeito... – Daigo rira.
— Dá pra me tirar daqui, por favor?
— Não antes de te torturar. – HanGeng respondeu.
Estremeci e senti minha cueca ficar mais umedecida – se é que é possível– e pendi a cabeça pra trás respirando fundo. Senti meus pulsos serem agarrados por mãos e abri os olhos, dando de cara com Daigo que sentava em meu colo, roçando sua pélvis de maneira torturante sobre a minha me fazendo grunhir.
Olhei para o lado e Akhide lambia os lábios enquanto HanGeng tirava a camisa e em seguida passava um pote para Daigo que voltara a me olhar perversamente me deixando arrepiado mais uma vez.
— O que é isso?
— Você já vai saber... Agora feche os olhos. – Daigo ordenou e eu apenas obedeci.
Com os olhos já fechados, soltei um espasmo por causa do toque de algo quente no meu peito. Daigo espalhava a substância sobre mim, fazendo movimentos suaves, mas precisos. O cheiro da matéria preencheu o ar e reconheci imediatamente. Era chocolate.
Abri os olhos espantados e assim que minha visão reapareceu Daigo começou a lamber minha barriga, retirando o chocolate e me fazendo soltar um novo espasmo, mas dessa vez de prazer. Quando achei que não poderia ficar pior, HanGeng se ajoelhou do meu lado direito e Akhide do esquerdo, Daigo levantara; estando ainda sentado sobre mim; e beijara um de cada vez. Passando o chocolate de uma boca pra outra enquanto pressionava a bunda sobre meu membro ereto me fazendo gemer baixo.
Os três pararam de se beijar e olharam para mim de maneira faminta. Estava temeroso e ansioso pelo que aconteceria ali, porém uma coisa era certa: a noite seria realmente longa. E extremamente prazerosa.
— HanGeng, pegue aquilo ali. – Disse Akhide apontando para o chicote.
HanGeng pegou o mesmo e abriu um sorriso altamente perverso e excitante, enquanto Daigo se esfregava em Akhide, retirando a blusa do amigo e mordendo seu pescoço. Depois do feito, Daigo fez com que Akhide ficasse de frente para HanGeng e colocou a mão de ambos no membro alheio, os apertando sobre a própria mão, fazendo os dois arfarem. HanGeng dera a típica risada baixa de quando estava ficando excitado e então se virara para mim.
Daigo ultrapassara o chinês e colocara uma gargantilha em mim, na qual pendia uma corrente. Honestamente, aquilo era muito sexy. Ainda com as mãos acorrentadas na cama, me ajeitei na mesma ficando assim sentado, com os braços erguidos e a barriga ainda meio lambuzada de chocolate.
HanGeng puxara Daigo para um beijo bem em frente a mim enquanto Akhide desamarrava o enlace do chicote, em seguida dando na mão de Daigo que estava magnífico naquela roupa de couro.
— Vamos brincar. – Sorrira de lado.
Para minha surpresa, Daigo batera com o chicote na quina da cama, chegando bem perto do meu rosto, me fazendo arregalar os olhos e soltar o ar pesadamente. Os outros dois riam baixo enquanto assistiam àquela cena. HanGeng estava sentado no colo de Akhide que acariciava sua perna lentamente. Daigo depois de sorrir ao ver os dois, voltara a atenção para mim batendo o chicote novamente, só que dessa vez pegando em minha perna, me fazendo gemer alto.
— Não quero esse gemido muxoxo. Quero você gemendo bem alto, mas antes... – Akhide interveio me puxando pela corrente da gargantilha e então me beijando vorazmente enquanto Daigo puxava HanGeng para si.
Daigo chegara perto de Akhide, ainda beijando o chinês e separara o moreno de mim. Agora os três se beijavam na minha frente de uma mentira explícita e erótica. As línguas se roçavam sem o menor pudor e uma brigava com a outra por espaço e dominação.
HanGeng se separou dos outros dois, pegou o pote que continha chocolate e derramou novamente na minha barriga. Lambuzou as próprias mãos e as esfregou no peito desnudo de Akhide e no rosto de Daigo. Em seguida o chinês pôs-se a lamber minha barriga enquanto os outros dois se beijavam e se roçavam de maneira explícita e totalmente sexual.
Meu membro doía de tanto que latejava e mal podia esperar para tê-lo livre daquela calça apertada. HanGeng pôs-se a morder meus mamilos enquanto apertava meu membro sobre a calça me fazendo gemer seu nome baixo.
— Quero você implorando.
Seus olhos eram tão famintos e intensos que eu poderia tocar-lhes se fosse possível. Ele lambeu os lábios de maneira provocante e sorriu ainda mantendo contato visual.
— Pelo amor de deus HanGeng! Pare de me torturar...
— O que quer que eu faça? –Perguntou de forma retórica enquanto pressionava os lábios sobre meu membro mais que enrijecido sobre a calça me fazendo arfar pesadamente.
— Me... Me...
— Fala logo. – Daigo sussurrou. Nem percebi que ele havia se aproximado.
O chinês e o japonês sorriram cúmplices de modo que me arrepiou.
“Merda, agora fudeu.” Pensei e antes que eu pudesse compreender algo HanGeng já estava retirando minha calça junto com a cueca e alisando meu membro totalmente exposto.
— HanKyung... – Gemi. — Por favor... Pare. – Implorei.
— Quer ouvir com todas as letras. Pede HeeChul.
Daigo então puxara meu cabelo com violência me deixando mais excitado e mordeu meu lábio inferior.
— Diga. –Ordenou.
HanGeng posicionava as mãos e sua boca estava a centímetros de minha glande me fazendo arfar cada vez mais alto enquanto Akhide estava sentado no pé da cama me olhando com divertimento nos olhos.
— Implore. – HanGeng disse me olhando nos olhos.
— ... – Respirei fundo e o encarei na mesa violência. — Me chupa!
Na mesma hora seus lábios úmidos tocaram minha glande e uma sensação de prazer indescritível se apossara de mim.
— Caralho! – Foi o que eu consegui dizer e em seguida gemi de forma lenta e torturante, o que fez com que HanGeng apertasse a mão ao redor do meu membro o sugasse com mais força.
— Não roube toda a diversão pra você. – Ouvi Daigo dizer e quando eu achei que não pudesse ficar melhor senti uma segunda língua tocar meu membro, me fazendo gemer novamente. Só que dessa vez mais alto.
Ambas as línguas trabalhavam avidamente em torno de meu membro e retirei forças de não sei aonde para abrir os olhos e dei de cara com Akhide jogando mais chocolate em cima do meu membro e entre a boca deles, que lamberam do testículo até o topo e em seguida se beijaram compartilhando meu gosto e o do chocolate Aquela cena era extremamente excitante, não havia como negar. Ahkide riu baixo puxando os queixos dos dois homens e os beijando rapidamente, então despejando mais chocolate sobre mim. Dessa vez trajando um caminho do meu pescoço até meu membro e enquanto eu sentia a língua do chinês e do japonês tocarem meu membro novamente, não tive nem sequer tempo de pensar e analisar o que estava sentido, que Akhide começara a lamber meus mamilos me fazendo grunhir extremamente alto pelo triplo de sensações que dominara meu corpo.
— Ah... Daigo... HanKyung... Ah! – Gemia enquanto me contorcia na cama, de maneira desconfortável afinal, ainda estava acorrentado.
Ahkide se sentara no meu peito e mirava aquele membro suculento e úmido em frente a mim que não pensei duas vezes antes de abocanhar o mesmo de maneira voraz e desesperada. O japonês gemeu assim que toquei sua glande e aumentou o som dos gemidos assim que comecei a sugar mais e mais forte.
Depois de alguns minutos assim, Akhide saiu de cima de mim, em seguida HanGeng e Daigo pararam de me chupar e para minha surpresa HanGeng colocara uma venda de cor avermelhada nos meu olhos e em questão de segundos eu não via mais nada.
— O que vão fazer? – Estava curioso.
— Algo que você vai gostar. Pode ter certeza... – HanGeng respondeu no pé do meu ouvido.
E em questão de segundos senti os anéis de Daigo pressionarem minha glande de forma altamente prazerosa e ambos gememos ao mesmo tempo.
— HeeChul... – Daigo gemera meu nome de forma lânguida me fazendo latejar dentro dele.
Enlaçou as mãos em minha nuca e começou a se movimentar por sobre mim de maneira lenta e torturante, me fazendo gemer mais ainda. Mesmo de olhos vendados podia sentir os olhares dos outros dois diante daquela cena. Eu ali, totalmente submisso aos pés daqueles três. Como um brinquedo sexual. Se bem que naquele momento, ser isso era com o que eu menos me importava. Na verdade era o que eu mais queria.
Daigo se movimentava cada vez mais rápido sobre mim enquanto eu observava HanGeng e Daigo masturbarem um ao outro enquanto observavam à cena. Aquilo estava cada vez mais excitante, mas eu prolongaria meu orgasmo ao máximo só para desfrutar aquilo tudo mais e mais.
Após alguns minutos ele diminuiu a velocidade e saiu por completo de dentro de mim e para minha surpresa Akhide veio até a mim e me tirara das correntes que deixaram uma leve marca rosada nos meus pulsos. HanGeng se levantou, tocou minha cintura levemente e me beijou. Um beijo lotado de luxúria e tesão e eu conseguia sentir seu membro ereto tocar o meu, me fazendo delirar em expectativa.
Quando menos esperava, HanGeng me soltou e seguiu em direção ao sofá de estampa preta lisa. Se sentara ali, onde então abrira os braços entorno do encosto do mesmo e afastara as pernas uma das outras, nos proporcionando uma bela visão do seu volume ali presente. Soltara o tão típico sorriso safado e eu já sabia o que deveria fazer, mas antes Daigo voltara até a mim e colocara as algemas novamente, me fazendo bufar em irritação o que o fez apenas rir em escárnio. Assim que terminado o trabalho com as algemas, recebi um beijo rápido e uma alisada da intimidade, o que me fez rir baixo e então voltei minha atenção para HanGeng que estava ali, sentado como um deus. Daquela maneira sexy e dominadora que só ele conseguia ter, o que me fazia latejar de tesão.
Cheguei até ele que alisou minhas coxas despudoradamente e em seguida apertara minha bunda me fazendo grunhir e então sorrir perversamente. Eu já sabia o que viria e mal podia esperar pelo feito.
Me arrastei em seu colo, roçando nossas intimidades de forma lenta e torturante nos fazendo gemer baixo e olhei para trás, avistando Daigo tendo o membro sugado de forma deliciosa por Akhide, enquanto tentava segurar os gemidos que tentavam ao máximo escapar de seus lábios me proporcionando um prazer indescritível.
Foi quando depois de um longo roçar de pélvis, senti sua glande tocar minha cavidade de forma explícita e sensual que me fez gemer baixo. Em seguida, sem a menor delicadeza, sentei por sobre seu membro de forma bruta e masoquista, nos fazendo gemer em uníssono com a onde de prazer que rodava nosso corpo nesse momento.
Minha mão acorrentada pendia em seu pescoço enquanto o mesmo tinha seu rosto em minha barriga, o que facilitava o toque de sua língua em meus mamilos, me fazendo grunhir alto. Podia sentir a pressão que fazia sob mim e minha excitação doía cada vez mais, mesmo sentindo-o totalmente dentro de mim, e nesse exato momento tocava meu ponto mais sensível me fazendo gritar seu nome em desespero.
— Oh HanGeng! Ah! – Gritava em meio ao êxtase.
Não conseguia parar de me mover e por mais que eu quisesse prolongar aquele momento sabia que poderia gozar a qualquer instante. E ele se encontrava no mesmo estado. Para minha infelicidade – ou felicidade, sei lá – HanGeng masturbara meu membro de forma lenta e torturante enquanto me penetrava e mordia meu mamilo esquerdo, tendo um urro meu como resposta às carícias. Rira baixo com aquela voz cujo eu achava tão gostosa de ser ouvir. Mais gostosa ainda quando chamava pelo meu nome.
— HeeChul! Ah Heenim... Continue... – HanGeng pedia enquanto eu acelerava ainda mais meus movimentos sobre seu quadril, nos fazendo gemer em uníssono, esbanjando prazer e agonia.
Podia ouvir Daigo gemendo o nome de Ahkide o que me deixava mais excitado e consequentemente acelerava os movimentos sobre o chinês. Minhas pernas doíam, mas a necessidade do prazer era maior. Meu lado masoquista pedia isso, e foi que para minha surpresa, senti algo batendo nas minhas costas e gritei, só que dessa vez de dor.
— Acha mesmo que não estaríamos presentes nesse momento?!
Daigo sorrira de maneira típica e excitante. Aquele lugar cheirava a sexo. Cada corpo ali pedia, implorava por sexo. HanGeng se mexeu indicando que eu deveria sair de dentro dele, embora fosse uma espécie de tortura para ambos. Saí de dentro dele soltando um gemido lânguido e sentei-me ao lado do chinês.
Fui praticamente empurrado do mesmo por Daigo e agora me via frente a frente com Akhide. Sorrimos perversamente um para o outro e então as mãos do japonês pousaram em meu queixo, me fazendo o erguer para então adentrarmos a um beijo luxurioso. Nossas mãos abusavam o corpo um do outro e o meu tronco já pendia sobre o seu que jazia encostado na ponta da cama. Minhas mãos ainda estavam acorrentadas e por isso coloquei meu braço por sua nuca, nos deixando mais colados. Agora eu estava deitado sobre Akhide com as pernas arqueadas sobre sua barriga. Minha nádega estava completamente exposta, porém só me dei conta disso assim que senti uma língua indo de encontro com minha cavidade.
Gemi com o toque e então senti Daigo tocar meus cabelos com as mãos e o toque em minha traseira parar, por instinto olhei para o japonês que sorria de lado e fazia força para eu descer meu corpo. O obedeci pendendo o corpo para baixo e me vendo de encontro com sua intimidade. Era tão saliente e suculenta que só de olhar minha boca havia salivado. Com as mãos presas era difícil manusear qualquer coisa, pensando nisso HanGeng havia pego o membro de Ahkide com uma das mãos, o masturbado devagar e em seguida envolvi a área com minha boca enquanto o chinês me ajudava com o trabalho.
Assim que minha língua tocou a glande de Ahkide, o mesmo soltara um gemido que mais parecia um urro. HanGeng tocava minha nuca enquanto eu, ainda sentado sobre as pernas do japonês, era guiado por sobre seu membro. Daigo observava com um sorriso altamente sacana enquanto alisada a própria intimidade.
Óbvio que não fora por muito tempo, pois em questão de segundos senti seu membro me penetrando de forma bruta e prazerosa. Gemi mesmo que com o membro de Ahkide por completo em minha boca. E como se não pudesse se conter, Daigo dera alguns tapas estalados em minha bunda me fazendo grunhir em aprovação e minha intimidade pulsar. Comecei a me movimentar para frente e para trás, podendo assim, senti-lo mais fundo dentro de mim.
— Ah não HeeChul! Ah! Uh! Ah! – Ele gritara para então sair por completo de dentro de mim e em seguida estocar com força novamente, soltando um gemido sofrido e assim, se retirar por completo de mim.
Gemia enquanto dava as últimas sugadas no membro de Ahkide que tinha a cabeça pendida pra trás e a boca aberta minuciosamente de onde soltava gemidos baixos. Saí de cima do mesmo com a ajuda de HanGeng que então retirou minhas correntes, me deixando assim, livre no punho. Acariciei meus pulsos para então olhar Ahkide que havia me chamado e para minha surpresa, me jogara o resto do pote de chocolate em meu tronco me melando por completo. Ahkide passara as mãos sobre a substância sujando um pouco do meu rosto e lambendo em seguida onde o mesmo sujara. Olhei para Daigo que apertava o membro de HanGeng e este me olhava de volta sorrindo. Se posicionou ajoelhado, porém com o tronco erguido, ficando assim ereto à mim e nos beijamos cúmplices.
Sujei seu tronco com o chocolate enquanto o mesmo cortava o beijo e levantava meus braços, tocando meus mamilos levemente com a mão e lambia meu pescoço e tronco sujos de chocolate retirando o excesso do mesmo e me dando prazer. Me apoiei no joelho e nas mãos, ficando assim de quatro e me pus a lamber o chocolate que estava na barriga do japonês.
— Vamos. – HanGeng dissera para Ahkide que em seguida fora colocado na mesma posição que eu, nos deixando assim cara a cara novamente.
Nossos rostos estavam realmente próximos e ambos sorríamos em meio àquela cena altamente explícita e erótica. Aquele ambiente exalava tesão e estava abafado graças ao nosso suor e tensão sexual. Soltei uma risada excitada para Daigo e no mesmo instante fomos enrrabados de ta forma que gememos o nome do autor da penetração em uníssono enquanto nos olhávamos nos olhos. Continuamos naquela foda com os olhares mantidos. Dava pra enxergar o prazer no olho alheio e aquilo era cada vez mais excitante. Nos beijamos afoitos em meio aos gemidos e movimentos corporais. Como se não bastasse, HanGeng começara a me masturbar e Ahkide fazia o mesmo em Daigo. Eu gritava, gemia, urrava enquanto apertava os lençóis de forma bruta. Além de me estimular e de me foder, HanGeng pusera a mão livre em minha cintura e com a mesma fincara as unhas, arrancando um pouco de pele e fazendo o local arder e em seguida sangrar um pouco. Era bom, tinha que admitir. HanKyung estocava com cada vez mais força, atingindo meu ponto mais sensível me fazendo gemer mais e mais. Ahkide não fazia por menos.
— Ah! Ah! – Eu e Daigo gritávamos juntos, mas então Daigo perdera as forças dos braços indicando que havia tido seu orgasmo. Sorri com a cena e não tardou para que Ahkide estocasse mais duas vezes em seu amigo, assim tendo o seu ápice.
Movimentei o corpo para trás e para frente enquanto HanGeng me estocava, indo assim mais fundo. No mesmo instante a mão de HanKyung apertara meu membro e eu urrei seu nome tendo assim um espasmo bastante longo, melando minha perna, barriga e mãos de HanGeng que no mesmo instante me preenchia com seu gozo, desfalecendo em seguida em minhas costas em busca de ar.
HanGeng estão saíra de dentro de mim e todos nós nos olhamos e rimos. Deitamos os quatro um ao lado do outro naquela cama espaçosa. Que há minutos atrás era palco de uma das fodas mais incríveis desse mundo.
Foi então que o cansaço tomou conta de meu corpo. Daigo aparentava já ter pego no sono e Ahkide ia para a mesma laia. Peguei as mãos de HanGeng e as enlacei com a minha enquanto o mesmo acariciava meus cabelos. Em seguida, adormeci, sem arrependimento de nada do que acabara de fazer.




Postado por Scarlett Lefévre às 09:53

0 comentários:

Postar um comentário