outubro 28, 2012

Plesurable Date


Título: Plesurable Date

Sinopse: Porque somente eles sabiam o quanto um encontro poderia resultar em algo prazeroso. Para ambos.
Categoria: Super Junior
Classificação: +18
Gênero: Lemon, Amizade, Yaoi.
Avisos: Sexo, Linguagem Imprópria, Nudez.

Nota: Obrigada Thays unnie, pela sino.
E a Clear, minha linda dongs, por ter me mandado fics boas o suficiente para me fazerem ter vontade de escrever de novo.
Ah, eu não betei. Provavelmente está cheia de erros, mas eu consertarei assim que eu tiver saco. Q
Boa leitura.




Capítulo Único



KyuHyun estava se dirigindo ao banheiro do sinuoso restaurante com as mãos levemente suadas. Estar ali depois de tantos anos, conversando, jantando, futilizando de alguma forma, com aquele tão velho amigo era no mínimo estranho.
Seus olhos correram pelo restaurante, dando uma última olhada na forma como as cortinas leves e escuras, nos mais belos tons de vinho, caíam sobre as paredes, deixando que apenas as luzes dos sutis lustres fornecesse iluminação para todo o local. Conseguia ver um pouco de longe, a silhueta do rapaz com quem estava ali acompanhado, suas costas ainda eram bastante belas, conseguiu observar. A blusa social ficara bastante bem vestida naquele corpo esguio. 
Sem mais delongas, Kyu adentrou ao toilet, dando-se conta de que tal área era tão charmosa quanto o resto inteiro do restaurante. O homem olhou então para o espelho, dando uma checada em seu visual. Percebera que as manchas das noites mal dormidas - causa da luta de seu interior para com as imaginações da noite de hoje - ainda estavam um pouco aparentes, mas nada de preocupante. Seus cabelos negros caíam na sua nuca e naquele exato local, algumas mechas estavam levemente coladas devido ao suor.
Não sabia quanto tempo provavelmente suportaria ficar dentro daquele local, por mais legal que fosse estar na companhia daquela exorbitante pessoa, ainda assim, aqueles olhos negros que incendiavam sua alma conforme conversavam estavam tirando-lhe do sério. Não sabia por quanto tempo teria que dominar o controle sobre sua tão querida quase ereção.
— Kyu...?  Uma voz muito conhecida lhe chamou, fazendo que seu coração disparasse e correntes elétricas passassem pelo seu corpo inteiro, clamando em meio ao desespero pelos toques do outro, de qualquer forma que fosse.
 Sim...?  Olhou para o homem de cabelos ruivos e lisos que caíam sobre sua testa, acentuando seu rosto já naturalmente fino.
— Hm, você estava demorando  sorriu de forma um tanto quanto perigosa e talvez um pouco sádica  por isso vim aqui... Pra ver se você estava  lambeu os lábios rapidamente  bem.
 Ah sim...  riu um pouco sem graça. - Eu estou bem, apenas com um pouco de calor - passou as mãos nos cabelos.
 Mas o ar condicionado está ligado  riu simpático. — Tem certeza de que está bem?
 hm,  soltou uma espécia de gemido frustrado, o que fez com que um lampejo de malícia se apoderasse das bolas íris escuras do mais alto, arrepiando seu corpo inteiro  tenho sim.
KyuHyun sentia seu corpo todo esquentar, cada célula, cada partezinha estava saltando de desejo e sabia que se fizesse algum movimento esquisito ele perceberia a ereção já formada em sua calça.
 Eu vou usar o banheiro antes de voltarmos para a mesa  avisou um pouco ruborizado.
Sem nem esperar a resposta do maior, Kyu enfiou-se dentro da primeira cabine, suspirando por um alívio que havia vindo muito antes da hora. Tomou um leve susto ao perceber a porta sendo arrancada de sua mão antes que pudesse trancá-la e ao olhar para frente, percebera que quem invadia seu espaço era ninguém mais, ninguém menos que seu acompanhante.
 Zhou Mi? O que é que vo...
Foi interrompido pelos lábios afoitos e necessitados do maior, que lambia-lhe os lábios - que ainda estavam fechados pela surpresa - com a finalidade de fazer o mais novo perceber o quanto o queria. O corpo de KyuHyun pareceu explodir em chamas, ardendo em cada veia, cada poro. O membro do mais novo roçava com o do ruivo, fazendo ambos soltarem gemidos sofridos em busca de oxigênio. 
As mãos do mais alto abriram rapidamente sua blusa social, arranhando seu tórax alvo e liso. Os sons proferidos pela boca de KyuHyun não eram nada perto do que Zhou Mi gostaria que ele fizesse. O mais novo desejava que ele parasse, mas ao mesmo tempo gostaria que continuassem. Eles estavam num lugar público, dentro de uma cabine de banheiro! 
Esse pensamento sensato passou pela mente de Kyu rapidamente e assim com entrou, partiu, deixando um coreano ensandecido no lugar de um homem controlado.
 Ah Zhou Mi, ah...  o mais novo gemia baixo, no pé do ouvido do ruivo, puxando-lhes os cabelos de forma agressiva.
As mãos do mais alto tocaram enfim a ereção de Kyu, ao mesmo tempo em que colava sua boca na dele, impedindo um grito de prazer. A fricção causada pelo pano da cueca somada com a força da mão do mais velho estava tirando o moreno da sanidade. 
Como se lesse exatamente os pedidos mais ocultos de KyuHyun, o ruivo continuou a apertar aquele membro latejante, sufocando ainda os gemidos com a boca. Não queria que ninguém os pegasse ali, é claro.
Então Kyu sentiu como se tivessem jogado um balde de água fria em cima de si. Seus olhos se abriram e ele pode ver um Zhou Mi sorrindo malicioso saindo de dentro do banheiro, passando a manga da blusa nos lábios a fim de limpá-los dos vestígios de saliva que trocaram.
O moreno ajeitou sua blusa, visivelmente surpreso em frente ao grande espelho. Percebeu também que sua ereção não sumiria tão cedo, mas a frustração tinha ajudado a diminuí-la. Poderia então aguentar mais quanto tempo precisasse, achava. Chegou novamente à mesa, um pouco atônito, mas nada que fosse vergonhoso demais. Zhou Mi degustava do vinho que pediram horas atrás, e antes mesmo que pudesse se sentar, um garçom chegava com a conta. 


 Me deixe pagar a conta, Mimi, por favor.
 Não  discordava com um olhar irritadiço.
 Por favor, você paga alguma coisa mais tarde, que tal?
 Tipo a sobremesa?  Sorriu travesso.
 Isso! Tipo a sobremesa  começou a retirar seu cartão da carteira, entregando para o servente.
 O que vai querer comer então?  Zhou Mi sorria malicioso, mas o mais novo estava ocupado demais digitando sua senha para perceber.
 Não sei, você escolhe.
 Hm, banana caramelada chinesa  sorriu largamente.
 É bom?  O olhou, completamente inocente.
 Você me diz depois  levantou-se, ainda com aquele sorriso lascivo no rosto.
Saíram os dois do restaurante, ainda com um pouco da tensão lhes perseguindo, mas nada de grandioso. Caminharam amigavelmente até o quarto de hotel, onde Zhou Mi estava hospedado. 


A porta do elevador se abriu e eles deram de cara com um belo corredor de hotel. As luzes claras iluminavam apenas o centro da área e por ser de noite, havia uma bela penumbra em cada curva do local. KyuHyun olhou para o mais velho que estava mexendo na gravata preta, soltando-a levemente, e então abrindo os dois primeiros botões de sua camisa social vinho. Seu pescoço agora estava exposto, e Kyu pode ver umas sombras de gotas de suor correndo pela pele clara. Zhou Mi mordia levemente o lábio, numa forma nítida de prazer por estar fora daquelas coisas que lhe apertavam todo. 
Enfim o olhar do ruivo caiu para o do mais novo, sorrindo no mesmo instante. Os olhos esfomeados do mais alto analisaram cada parte que podia do maknae, e KyuHyun jurou que poderia ter sentido os toques do outro em seu corpo. 
Sentiu seu couro cabeludo se arrepiar em puro deleite quando a voz de Zhou Mi penetrou seus sentidos auditivos e o hálito doce do ruivo tocava sua face num sussurro.
 Vamos entrar?
 Ah claro  soltou o ar pesadamente enquanto se dirigia para fora do elevador.
Em poucos passos, estavam enfim em frente à porta do quarto de Zhou Mi, que abria-a vagarosamente. 
 Hm, então Kui Xian, quer beber alguma coisa? - Perguntou o ruivo dando passagem para o amigo entrar em seu quarto de hotel.
KyuHyun adentrou ao cômodo e preferiu não sentar, não sabia por que, mas desejava se manter em pé, e assim o fez.
O mais novo nada respondeu, apenas depositou sua carteira, seu celular e suas chaves em cima do balcão próximo a si. Sorriu então para o ruivo, que captou na hora a malícia daquela encarada.
 Há muito não ficamos sozinhos juntos, não é Mi?  Mordeu os lábios aproximando-se do maior que enlaçou sua cintura.
 Pois é Kui Xian, então, o que quer beber? Ou melhor, o que quer comer?  Sorriu da ambiguidade de sua frase.
 Vamos ver... 
KyuHyun retirou as mãos do outro de sua cintura e antes mesmo que Zhou Mi pensasse que o mais novo havia desistido de qualquer coisa que fossem fazer naquele momento, as costas do ruivo batiam com força na porta de madeira, e um gemido de dor e prazer ecoava pelo quarto. 
As mãos de Zhou Mi puxavam sem a menor sensibilidade os cabelos negros do mais novo que havia literalmente arrancado sua blusa de si. Podia-se ouvir o barulho de alguns botões encontrando-se com o chão. 
KyuHyun em momento nenhum decidiu que beijaria o mais velho, não tinha a menor vontade nesse instante.
 Está com pressa Kui Xian?
 Sim, estou.  Respondeu ao terminar de puxar a blusa pelos braços do ruivo que em seguida voltaram para seus cabelos, puxando-os com voracidade.
A língua de KyuHyun abusava do pescoço suado e cheiroso do mais velho, fazendo-o segurar pequenos gemidos.
 Oh Kui Xian, pare  pedia enquanto fazia questão de arrancar fios de cabelo do maknae, que insistia em tocar-lhe em pontos sensíveis.  Me beije  ordenou.
— Não antes de te ter nu, Zhou Mi  mordeu a orelha do ruivo, sentindo-o pressionar o corpo contra o seu, causando uma dificuldade de respiração em ambos -, agora me ajude com isso - pediu - com um tom de ordem.
O mais alto afastou seu corpo do mais novo e desafivelou seu jeans, sentindo as mãos largas e macias de KyuHyun puxarem as mesmas para baixo, deixando-o apenas em sua box cinza, com uma ereção bem marcada.
Zhou Mi num ato desesperado, passou a mão por cima do próprio falo, gemendo enquanto olhava nos olhos luxuriosos de KyuHyun, que lambia os lábios e então os mordia.
O mais novo aproximou-se do ruivo, beijando seu pescoço, mordendo sua orelha, alisando seus mamilos rijos. As mãos alisavam o torso, a cintura, tocavam todas as partes em que queria, até que enfim chegaram ao cós da cueca. 
Ajoelhou-se e de lá debaixo, olhou para Zhou Mi que tinha a boca entreaberta, numa expressão muda de prazer. O moreno retirou lentamente a peça de roupa que faltava, revelando um membro levemente rosado, extremamente duro e molhado.
— Ah Zhou Mi, isso tudo é por minha causa?  Riu baixo, quase como num sussurro.
 Pois é meu querido, agora trate de consertar o que você fez - riu junto.
— Hm, vou ver o que posso fazer.
Antes que Zhou Mi pudesse abrir a boca para contestar, ou dizer qualquer coisa que fosse, a boca de KyuHyun tocava-lhe a glande úmida e tudo que o ruivo conseguira fazer, fora soltar um grito misturado com gemido, num prazer descomunal e altamente dilacerante. 
A língua extremamente molhada do mais novo fazia questão de tocar cada ponto sensível do falo de Zhou Mi, fazendo-o arquear as costas naquela porta desconfortável, mas nada o faria sair de lá, pelo menos não enquanto tivesse a boca de KyuHyun em seu sexo fazendo tão bom trabalho.
— Por deus Kui Xian  empurrava em vão a cabeça do mais novo, tentando fazê-lo descolar de sua intimidade, sabia que não ia durar muito tempo e queria senti-lo por dentro ainda.  Eu estou quase lá, pare!  Gritou, desesperado, uma vez que não queria acabar com tudo logo.
O barulho da boca de KyuHyun largando aquele sexo quente fora ouvido e o mais novo então levantou-se, ficando frente a frente com os lábios rosados de tanto morder de Zhou Mi.
O mais novo passou as mãos carinhosamente pela nuca do amigo, trazendo-o para mais perto e alimentando o desejo de minutos atrás do ruivo, beijando-o enfim.
Os lábios de Zhou Mi se entrabriram, permitindo que a língua do moreno dançasse com a sua, numa apresentação obscena e íntima. O maior sentia seu gosto naquela boca tão bem conhecida e nada importava, não queria que o momento acabasse. 
O mais alto passou então as mãos pela ereção aina vestida de KyuHyun e cortou o beijo, olhando-o com repreensão.
 Como você ousa permanecer vestido?  Começou a abrir a camisa social do amigo, despindo-o com pressa, enquanto ouvia apenas os risos baixos do mesmo.  Direitos iguais, honey.
A risada baixa e rouca do moreno apenas ecoava pelo quarto do hotel e sem mais delongas, Zhou Mi terminou de arrancar suas roupas deixando-o completamente nu. Alisou desde suas pernas até seus ombros, olhando-o nos olhos, antes de depositar um selinho carinhoso em seus lábios avermelhados e puxá-lo pelas mãos, carregando-o até o quarto.
A cama estava levemente desarrumada, provando que o ruivo estava deitado ali antes de sair. Sem poder raciocinar nada mais, o corpo de KyuHyun estava estirado na cama, sentindo o frio dos lençóis em seu corpo quente como brasa e as mãos exploradoras do ruivo tocando-lhe todos os locais de podiam.
Zhou Mi depositou suas pernas em cada parte das laterais da cintura do mais novo, ficando sentado em sua pélvis, com sua ereção batendo na barriga do moreno. O falo duro de KyuHyun tocava sua entrada, mas nada que o fizesse perder o controle, não naquela noite.
O ruivo brincou com os mamilos do moreno por longos minutos, sentindo-o se contorcer de prazer abaixo de si. Os gemidos eram como música para seus ouvidos, o estimulando a continuar, mas sabia que iria ter que fazer mais e movido a esse pensamento, saiu de cima do mais novo, descendo para a área das pernas.
Para facilitar sua locomoção, saiu da cama, ficando ajoelhado na beira dela, tendo uma visão completa de KyuHyun deitado na cama, ereto e deliciosamente submisso.
A boca do mais velho tocou a parte interna de uma das coxas do moreno, fazendo-o soltar o ar, um pouco desesperado, e para sua excitação, Zhou Mi lhe mordeu naquela área tão sensível. 
A garganta de KyuHyun já estava seca e nada poderia fazer além de se permitir sentir cada uma daqueles toques. Sentira falta daquilo, não havia como negar tais prazeres, ainda mais agora que esta podendo senti-lo de novo.
Um grito ecoou pelo quarto. Um grito enlouquecido de prazer fora ricocheteado pelas paredes frias do quarto quando a língua quente e molhada de Zhou Mi tocou aquela pequena área secreta e extremamente sensível do amigo.
As mãos do moreno puxavam sem piedade os cabelos avermelhados de Zhou Mi que gemia enquanto lambia aquela abertura com um gosto peculiarmente doce e único do mais novo
Após longos minutos nessa tortura, o ruivo se cansara de ignorar os pedidos de mais e alguns de que ele terminasse logo com toda aquele lenga lenga, aquelas provocações, Zhou Mi finalmente parou de tocar no corpo do mais novo.
Parara para observá-lo mais um pouco. As bochechas rosadas, os cabelos desgrenhados, suados e colados em alguns pontos de sua nuca e rosto. A boca avermelhada e levemente inchada, os olhos semicerrados. A respiração ofegante, as pernas entreabertas, do jeito que o deixara, o membro ereto e necessitado de alívio. Era a visão mais perfeita que poderia ter. Seu membro concordava consigo, pois não parava de pulsar em suas mãos.
Tombou a cabeça para o lado, masturbando-se enquanto olhava pra o corpo do mais novo, este sorria para si.
Venha Zhou Mi... apoiou-se nos cotovelos. Eu quero você dentro de mim.
Aquele pedido fora o suficiente para o ruivo sem a menor paciência, penetrá-lo. Os dois urraram de prazer quando o ato foi consumado, cada célula entrando em um estado de prazer que beirava ao divino.
Os movimentos do ruivo eram agressivos e deliciosos, em ambos os pontos de vista. KyuHyun gemia o nome do mais velho várias vezes e isso só alimentava a necessidade de Zhou Mi de fodê-lo como se não houvesse amanhã. 
Quando o mais novo avisou que iria chegar ao seu limite, Zhou Mi desacelerou os movimentos, até estar entrando e saindo vagarosamente daquela entrada apertada e quente, enquanto apertava seu membro na mesma velocidade.
Olhou-o nos olhos, enquanto masturbava-o num ritmo um torturante. Sabia pelo cenho franzido e a boca seca a entreaberta de KyuHyun que ele estava mais do que próximo de seu limite. Por isso sorriu e pediu, num tom de ordem:
— Goze pra mim Kui Xian.
Com isso, bastou um movimento pélvico para dentro do corpo do moreno, uma movida em sua mão naquele sexo duro para que Zhou Mi tivesse a satisfação de ouvir seu nome saindo da boca do moreno, clamando-o prazerosamente.
O ruivo não precisou de muito esforço para atingir seu clímax, misturando seus fluidos com os do mais novo. Deixou-se vencer pelo cansaço, deitando do lado de KyuHyun na cama e enlaçando sua cintura.
Os dois não perceberam quando pegaram no sono. Ambos com sorrisos satisfeitos no rosto.


Postado por Scarlett Lefévre às 15:19

1 comentários:

CARALHO DÃLS~DASLD]ÃSLDSÇLD Que fanfic mais orgásmica hein... Nada como ler uma boa ff da dona Yannlicious antes de ir pra cama e tentar dormir, porque depois de ler isso é meio difícil. q

Postar um comentário