outubro 10, 2012

Unbeliveable


Título: Unbeliveable 

Sinopse: Amizade. Elas também podem esconder desejos ocultos. As vezes esses segredos podem render boas experiências. Devemos arriscar?

Classificação: +18
Categorias: Super Junior
Personagens: Han Geng, Heechul
Gêneros: Amizade, Lemon, Romance, Yaoi
Avisos: Homossexualidade






Capítulo Único - Quem diria?

Não suporto mais esse calor. Porque diabos o dia tem que ficar cada vez mais e mais abafado? Como se já não bastasse as horas dançando dentro daquele estúdio. Se bem que hoje só treinamos no período da manhã... E já são 16:00! De qualquer maneira, porque raios LeeTeuk hyung cismou de inventar uma reunião de emergência? Justo hoje que eu queria tanto ficar deitado descansando... Ai vida.
Depois de sair do meu confortável sofá, reuni forças e muito saco e fui até a casa de Teuk hyung onde todos nos encontraríamos pra poder discutir o figurino e coisas do gênero. Quero acabar com isso logo. Quero ir dormir. Quero descansar. Aigoo.
— Hyung! Até que enfim. – Resmungava SungMin.
— Pois é... Agora estou aqui. Vamos logo, eu quero descansar.
— Ok ok. HeeChul vá pra sala, experimente a roupa, deixe que a moça dê os ajustes e pode ir pra casa. – LeeTeuk ria sarcasticamente.
Segui até a sala e pus-me a experimentar a maldita roupa. HanGeng, SiWon, DongHae e Hyuk também estavam no mesmo local, enquanto os outros estavam fazendo eu sei lá o que em outro cômodo.
Então começou, aquelas trocas incessantes de roupas. Estava quente, embora o ar condicionado central da casa de Teuk hyung estivesse ligado. Senti um pouco de suor começando a se formar em minha testa, mas pouco me importei. Agora estava no banheiro, ajeitando aquela calça maldita que estava um pouco mais justa do que devia. Uma jaqueta prata, com meu símbolo favorito pendente nas costas da peça. Confesso: estava lindo. Ri sozinho.
Voltei até a sala pra falar com os meninos e dei de cara com uma visão que me deixou um tanto quanto perturbado. HanGeng estava com uma calça mais justa que a minha, toda preta. De couro. Aquilo realçava sua bunda a ponto de me fazer querer tocá-la. Claro que não só a sua bunda, pois é. Assim que me viu, deu aquele sorriso largo que há muito me deixa desengonçado, meio sem ar. É um sorriso perfeito, um sorriso... Meu. Sei que isso deve ter soado gay e meloso, mas não me importo. Era como eu me sentia.
— Nossa! Ficou ótimo. – Sorriu ele.
— Obrigado. Você ta dando um caldo hein? – Ri, acompanhando os outros presentes.
— Como está a roupa? – LeeTeuk perguntou.
— Ótima.
— Ok... Pode ir se quiser.
— Até amanhã pessoal, estou um caco.
— Até mais hyung. – Ouviu todos se despedirem.
HanGeng me levou até a porta e estávamos prestes a nos despedir.
— Te vejo mais tarde?
— Claro. Tchau, Geng.
— Tchau...
Entrei no carro, embora quisesse ficar mais com ele, mesmo sabendo como todos estavam ocupados com aquilo. Bom, eu o veria mais tarde de qualquer maneira.
~X~
Horas tinham se passado e HanGeng não me ligava. Provavelmente tinha desistido de vir e preferiu ir dormir. Bom, aquela visão dele naquela roupa não saía de minha mente. Eu queria naquele momento tocar o corpo dele. Sério, era a primeira vez que essa maldita crise súbita de desejo por ele me dominava de tal forma. Ele parecia ficar mais sexy a cada dia. Impressionante.
Já estava ficando relativamente tarde, preciso de um banho. Suar... Nojento isso viu? Decidi entrar no banho. A água quente em contato com a minha pele mais quente era bom. Incomodava um pouco o ar abafado, mas fora isso era confortável. Fechei os olhos e me permitir ser vencido pelo cansaço. Pena que ao invés de cansaço, eu senti uma pontada de tesão ao rever as imagens mentais de HanGeng com aquelas roupas. Não deveria estar sentindo isso. Que saco.
Troquei a água quente para morna, quase fria, na esperança de que meu membro, visivelmente excitado diminuísse e eu não tivesse que apelar para a masturbação. Não estava nos meus planos ficar excitado, mas aquela visão maravilhosa do couro moldando perfeitamente a bunda de HanGeng... Era simplesmente uma perdição. Até mesmo para mim. Tão tentadora que simplesmente não resisti. Me deixei levar por essa visão, minhas mãos logo tomando caminho para meu corpo.
Senti minha mão percorrer até minha intimidade tocando o topo de meu membro com suavidade e precisão. Imaginei que fossem as mãos dele. Sorri ao sentir minhas mãos deslizarem novamente, só que dessa vez em toda a extensão da glande me fazendo arrepiar. Era uma sensação proibida, porém gostosa.
Assim que me pus a acelerar os movimentos ouvi a campainha tocar. Merda. Desliguei o chuveiro, enrolei a toalha na esperança de que minha ereção que no momento estava bem diminuída pelo relativo susto não marcasse muito. Pra isso, coloquei uma Box preta por baixo da toalha. Preguiça de colocar uma roupa normal define.
Segui até o primeiro andar pra saber quem fora o infeliz que me despertou de meu “momento feliz” e então me lembrei que poderia ser HanGeng. Meu coração acelerou ao perceber que poderia ser ele ali, na porta. Abri a porta minuciosamente e me dei de cara com o sorriso dele. Ah, aquele sorriso que me derretia por completo.
Ele usava uma jeans meio justa, como de costume e uma regata branca em corte em V. Estava lindo. Sorri assim que meus olhos encontraram os seus. Percebi que os dele continham um brilho não muito comum e logo seu olhar saiu de meus olhos e rodearam meu corpo. Estava apenas com a toalha por cima da cueca e o corpo mio úmido. Havia gostas de água escorrendo de meu cabelo em meu ombro. Sorri torto e ao mesmo tempo senti meu corpo arrepiar.
Encarei seus lábios por tempo demais eu acho. Ele sorriu torto e malicioso; de uma maneira que eu nunca havia visto antes, o que me fez perceber que estava começando a ficar excitado. Droga, ele não pode perceber. Fiz um gesto para que ele entrasse e seguimos para a sala.
— Desculpa pela falta de vestimenta. Estava no banho.
— Relaxa Chul... To acostumado a ver você assim. – Riu baixo.
— Quer beber alguma coisa?
— Na verdade eu quero comer.
Espera... Eu ouvi isso mesmo? Isso foi uma maldita frase de duplo sentido ou o meu pseudo tesão por ele está me fazendo ouvir coisas?
— Comer... Hm. O que? Posso tentar cozinha algo, mas você sabe como eu falho na cozinha.
— Tem sorvete?
— Ai sua formiga, tem. – Ri e segui para a cozinha, preparando em seguida duas taças de sorvete para nós.
Tomamos o doce normalmente, como se fosse uma noite qualquer. Como estávamos acostumados a fazer. Conversamos sobre o lançamento do single, sobre a banda, sobre a vida. Nem percebi que já eram quase meia noite e ainda estávamos no sofá da minha sala de estar conversando igual dois adolescentes. Me levantei indo em direção ao quarto.
— Aonde vai?
— Pegar coisas pra você dormir. Você pelo visto vai ficar aqui. –Ri vendo a expressão de confirmação que ele fez ao ouvir o que eu disse.
Depois de arrumar as coisas, dirigimos até meu quarto e fomos para a varanda continuar nossa animada conversa. Era sempre divertido passar tempo com HanGeng. Ele era divertido, lindo, bom de papo... Meu melhor amigo.
Comecei a analisar sua feição á luz da lua e percebi o quão bonito ele era. Claro que eu já sabia disso, porém aquela situação lhe aplicava mais beleza ainda. Ele sorriu sem graça pelo silêncio que decorreu enquanto eu o observava e na mesma hora eu fui tomado por um desejo imenso de possuir aquela boca. De tocar aquele corpo. De senti-lo.
Percebi que ele me olhava com uma malícia que eu nunca tive contato antes. Aquilo estava começando a me excitar, mas é claro que ficaria em silêncio. Não estragaria minha amizade com ele por isso. Pelo menos tentaria.
Me virei de frente para a sacada continuando a contemplar a rua, que agora se encontrava calma e quase vazia. Havia somente alguns carros e pouquíssimas pessoas. Sentia como se alguém estivesse me observando e aquilo me intrigava. Queria virar e ter certeza de que era ele, mas ao mesmo tempo não queria, pois tinha medo de não conseguir sustentar o olhar, ou se eu sustentasse, ele conseguiria ver o quão desejoso eu estava naquele instante.
Senti suas mãos tocarem levemente meus ombros e por reflexo olhei-o, finalmente sentindo aquele olhar que eu tanto queria. Acho que não era o único com desejos ocultos aqui. Sorri de leve e ele pareceu entender como eu me sentia. Encarei seu lábio que estava curvado num sorriso maldoso e assim que meus olhos novamente encontraram os dele senti meu corpo ser puxado, como se houvesse um imã, em direção a ele. O que consequentemente anulou o resto de espaço que havia entre nós, me fazendo sentir aquele aroma de canela que era exalado daquela boca, misturado com o creme do sorvete; senti meus pelos do braço se eriçaram e meu instinto selvagem começava a dar sinais de vida.
Engoli seco, embora meus lábios estivessem bastante úmidos. Sorri torto quando percebi que ele fechou os olhos e tocou minha cintura. Em seguida nos beijamos, fora um beijo quente, com desejo, luxúria... Apertei sua cintura o sentindo soltar o ar em meio ao beijo. Sorri ao perceber o efeito que causava sobre ele. Bom, estava realmente me aproveitando disso, pois ele ainda não tinha percebido o controle que exercia sobre MIM.
Quando eu menos esperava HanGeng segurara minhas coxas com precisão me fazendo colocá-las ao redor de sua cintura, assim me carregando quarto a dentro. Em alguns segundo senti minhas costas baterem no colchão macio da minha cama. Ainda arfando em meio ao beijo tão esperado e desejado por mim, tomei o controle da situação e me pus por cima dele. Ficando assim com as pernas ao redor de sua cintura.
Cortei o beijo para conseguir me aproveitar melhor de seu corpo. Primeiro a camisa; assim que a mesma estava fora de ação comecei a espalhar beijos pelo pescoço de HanGeng, passando as mãos por seu corpo sem nenhum pudor, descendo os beijos pelo peito, parando nos mamilos. Lambi os mesmos, soltando suspiros pesados dele, me fazendo sorrir por dentro. Depois de um bom tempo, sugando, lambendo e até mordendo desci beijando a barriga fazendo-o se arrepiar de leve. Adoro causar efeitos sobre ele. Meu membro já doía dentro da cueca, pedindo por misericórdia para ser libertado, porém, eu ainda tenho algum trabalho antes de fazê-lo.
Finalmente cheguei ao cós da calça, desabotoei um tanto rápido querendo senti-lo o quanto antes, mas antes, nada melhor do que torturá-lo um pouco. Levantei o rosto assim que me vi livre da calça e lancei um sorriso pervertido. HanGeng jogou a cabeça pra trás rindo, acho que entendeu o recado.
Sua barriga se contraiu assim que minhas mãos tocaram seu membro rijo e úmido mesmo por cima da cueca. Minha boca meio que começou a salivar enquanto eu acariciava o mesmo lentamente e torturante. Decidi que já era hora que sair da casa, se é que me entende.
Retirei sua cueca, deixando-o completamente nu que para minha felicidade era uma vista perfeita. Digna do posto de ‘maravilha do mundo’, sério. Seu corpo era escultural. Dava vontade de tocar tudo ao mesmo tempo, mas por enquanto me contentei apenas com o que havia em minhas mãos.
Sorri enquanto minha língua tocava lentamente o topo do membro de HanGeng que pendia a cabeça pra trás soltando um leve gemido de prazer. Aquilo apenas me estimulava a continuar. Após alguns minutos de tortura com aquela área, me entediei, digamos assim e coloquei seu membro por completo em minha boca. Chupando todo o exterior e a parte em que minha boca não alcançava, minhas mãos trabalhavam avidamente. Eram movimentos de vai e vem de minha língua e mãos. HanGeng gemia cada vez mais.
Minha sanidade começava a dar sinais de que iria embora. Sugava cada vez mais forte e mais preciso, desejando a todo custo fazê-lo implorar por mim. Por mais. Até que senti suas mãos no meu cabelo, fazendo com que minha boca saísse de seu membro e nossos olhares se encontrassem.
— Já pode parar.
HanGeng dera um dos sorrisos mais safados que eu havia visto em toda minha vida. Todos os pelos do meu corpo se arrepiaram com aquele simples gesto. Subi de encontro a sua boca e o beijei avidamente, passando por ali todo o meu desejo. Suas mãos novamente pararam na minha cintura e me viraram. Deixando-o assim por cima de mim. No controle. Ótimo, agora estou submisso. Novamente fui tomado por uma onde de arrepios e ele logo percebeu e riu baixo. Aquela risada maliciosa e orgulhosa, sedenta de luxúria. Estava cada vez mais excitado, louco para senti-lo.
Quando menos esperei, sua mão roçava em meu membro, me fazendo soltar o ar pesado de tanto tesão. Estava realmente doendo sob a calça, mas era uma dor boa e eu seria recompensado, ah se ia. Ele se posicionou em frente a mim, que agora estava apoiado pelos cotovelos assistindo enquanto ele desabotoava minha calça. Assim que me vi livre da calça e da cueca suspirei aliviado, fazendo-o sorrir de lado.
Sua mão escorreu do meu pescoço até o meu membro, se encontrando com a que já estava lá, me fazendo reprimir um gemido. Sua língua foi avidamente até o topo e ele o lambeu de cima pra baixo, me fazendo gemer baixo.
— Não HanGeng... Não precisa. – Dizia entre gemidos.
— Não seja bobo.
— Não! Eu quero agora. Me fode HanGeng. Agora!
Respirava com dificuldade e assim que soltei a frase, os olhos de HanGeng brilharam. Me puxou em apenas um movimento brusco para baixo, nos fazendo ficar na mesma direção, me beijou. Forte e rápido, logo me virando novamente e então eu em questão de segundos, estava de quatro. Pronto para receber o que estava ansiando há horas.
Suas mãos tateavam todo meu torço, toda a minha cintura, as apertando com vontade. Com tamanha vontade que chegava a doer, mas isso que o que menos me importava. Seus dedos logo estavam úmidos da própria saliva e então um de seus dígitos me penetrou, mas não era o que eu queria. Eu o queria por inteiro. E agora. Não agüentava mais esperar.
— Não precisa disso.
— Mas você vai se machucar.
— Não vou. Vai logo. - Mandei.
Sem menos esperar ou insistir, HanGeng se afastou e em seguida me penetrou com uma força descomunal. Urrei de prazer. Aquilo era... Indescritível.
Mal me importei se estava doendo ou não, queria mais. Meu lado masoquista estava ligado e minha sanidade se esvaiu. Agora só me restava desejo. Movimentei meu corpo contra o dele, dando a entender que podia se movimentar e com a mesma precisão da primeira investida, ele sucedeu as outras. Cada uma mais forte que a outra. Cada uma mais profunda, mais intensa.
Suas mãos puxavam meu quadril contra ele, tornando o toque mais e mais íntimo. Ele atingiu não sei quantas vezes meu ponto sensível. E eu já não gemia; urrava, gritava de prazer. Nunca havia sentido tamanho tesão. Suor já era visível em meu busto e costas. Meus dedos doíam de tanto apertar o lençol e buscar por apoio. Cada estocada era como se estivesse no céu.
Sua mão tateou minhas costas por completo e parou em meu membro. Assim que percebi, soltei o ar pesado e então suas mãos começaram a me masturbar no mesmo ritmo com que me estocava. Minha sanidade não voltaria tão cedo.
Então, como se não pudesse ficar melhor, HanGeng pousou seu corpo sobre minhas costas, estocando assim, mais fundo. Tornando mais prazeroso para ambos enquanto ainda me masturbava freneticamente, no mesmo ritmo das investidas. Com apenas duas estocadas intensamente profundas, senti aquele tão conhecido arrepio e então gozei. Melando a cama, as mãos de HanGeng e um pouco de minhas pernas e barriga. Assim que o meu passou, senti HanGeng apertar mais forte minha cintura, sentido o orgasmo que o atingira e em seguida tombamos para o lado, cansados, porém felizes.
— Você... Me... Cansou. – Disse ele rindo entre ofegos.
— Digo o mesmo.
Sorrimos um para o outro. Me aninhei em seu peito, puxei o cobertor que estava quase caindo por completo e nos cobri. Me permitindo assim, cair em um sono profundo e delicioso.
Amanhã o dia seria longo e a noite mais ainda.

Postado por Scarlett Lefévre às 05:37

1 comentários:

USHDUAHUFHDUGH como eu disse, o que você me faz fazer unnie?
Sinceramente eu não sei o que dizer e.e Como sempre a fic é perfeita não preciso dizer isso u-u
Sou super a favor de calças de couro coladas a té a alma SUHAUFHUDF parei
HeeChul uma safado, mas isso não é novidade nenhuma u-u então kkkk
Juro que imaginei o HanGeng fazendo cara de desejo quando falou que estava com fome e.o
Vou começar a considerar HanChul de agora em diante pode ter certeza disso XDD
Beijinhos ^.~

Postar um comentário